Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Imprensa Notícias 2021 setembro Secretário de Agricultura visita instalações do Matadouro de Viçosa
02/09/2021 - 17h00m

Secretário de Agricultura visita instalações do Matadouro de Viçosa

Governo de Alagoas investiu 9,6 milhões de reais na construção do Abatedouro Frigorífico

Secretário de Agricultura visita instalações do Matadouro de Viçosa

Secretário de Agricultura visita instalações do Matadouro de Viçosa (Raul Plácido)

Por Pollyana Almeida


O secretário de Estado da Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura (Seagri), Maykon Beltrão, esteve no município de Viçosa fazendo uma visita às instalações do abatedouro frigorífico do município. 

O Governo de Alagoas investiu 9,6 milhões de reais na construção do Abatedouro Frigorífico, com uma área de 26,4675 hectares e uma área de construção de 2.341,19 metros quadrados. A capacidade diária de abate é de 50 bovinos, 50 suínos e 40 ovinos / caprinos.

Maykon Beltrão comentou sobre a importância que tem a nova administração do abatedouro e o resultado positivo que a concessão vai levar à população viçosense.

"Dia muito importante, aqui em Viçosa, já que estamos entregando de fato e, em definitivo, por 25 anos, o abatedouro para a empresa Campo do Gado. Essa empresa vai administrar o prédio, concluir a reforma e o Estado fiscalizar a conclusão da obra. Dentro de 12 meses, o matadouro estará em pleno funcionamento ou antes mesmo. O abatedouro deve gerar dezenas de empregos diretos e indiretos e aumentar a qualidade da carne bovina, suína e caprina que, na região do Vale do Paraíba, o governador Renan Filho trabalhou muito para chegar esse dia. Tenho certeza que a Campo do Gado irá administrar com muita maestria, gerando emprego aqui para Viçosa e, principalmente, entregando carne de qualidade para todos da região", enfatizou Maykon Beltrão.

Secretário de Agricultura visita instalações do Matadouro de Viçosa

Na ocasião, além de Maykon Beltrão, o prefeito de Viçosa, João Victor Calheiros, o vice-prefeito, João Bosco, o proprietário da empresa Campo do Gado, Gustavo Machado, entre outras autoridades estiveram presentes.

“Eu queria dizer que estou muito feliz e contente aqui por estar concretizando esse sonho, pois os viçosenses já estavam desesperançosos com esse nosso abatedouro. E graças a Deus, ao nosso governador Renan Filho e ao secretário de Agricultura e parceiro, Maykon Beltrão, conseguimos, de mãos dadas e unidas, transformar esse sonho em realidade", comemorou o prefeito João Victor.

Além de Viçosa, o Matadouro frigorífico vai beneficiar a população e criadores de pequenos, médios e grandes animais de outros onze municípios da região: Anadia, Boca da Mata, Cajueiro, Capela, Chã Preta, Maribondo, Mar Vermelho, Paulo Jacinto, Pindoba, Quebrangulo e Tanque D'Arca.



Concessão

O governador Renan Filho juntamente com o secretário de Agricultura, Maykon Beltrão, o prefeito de Viçosa, João Victor e com o proprietário da empresa Campo do Gado, Gustavo Machado assinaram o termo de concessão do Abatedouro Frigorífico de Viçosa em julho, no auditório Aqualtune do Palácio República dos Palmares. 

O novo proprietário do matadouro, Gustavo Machado, falou da gratidão e felicidade em contribuir com desenvolvimento da economia local, através da geração de emprego e renda, e impulsionando o comércio da região. 

Secretário de Agricultura visita instalações do Matadouro de Viçosa

"Estou muito feliz com a atitude do governador, do secretário Maykon Beltrão e do prefeito João Victor. Quero dizer para vocês que meu compromisso aumenta cada vez mais, a cada dia que passa, porque a gente percebe a ansiedade não só das autoridades, mas, principalmente, da população de Viçosa e cidades vizinhas. Devemos iniciar o projeto ainda este ano, no máximo, no início de outubro. Esperamos que até o final do ano que vem, a gente possa concluir todo o projeto", comemorou.

A previsão é que, no final de 2022, o matadouro esteja apto para funcionamento. O novo equipamento colaborará com a estruturação da cadeia produtiva da proteína animal na região do Vale do Paraíba alagoano e vai gerar 150 empregos diretos, além de outros 300 indiretos.

Ações do documento